Turma de 1970

Turma Marechal Mascarenhas de Moraes.

Comandante do Batalhão

Ten Cel NEY NUNES VIEIRA (Interino)


Instrutor Chefe

Cap  LUCIANO Marcio Prates dos Santos


Instrutores

1º Ten Carlos ITAROTY Della Nina da Silva
2º Ten Ubiratan Pereira PILLAR
2º Ten João Carlos SARMENTO da Silva


Monitores

Sub Ten Jacy Gonçalves RIBEIRO
3º Sgt Renato Eraclides Pulz
 3º Sgt Tito Soares de CAMPOS
3º Sgt FRANCISCO dos Santos Ribeiro


Aspirantes

Antônio Carlos Machado da ROSA
Carlos Alfredo ONGARATTO
GILSON Justino da Rosa
Guido Alberto LORENZ
JAIR Carlos Teixeira
João Carlos FERNANDES Gregório
Jorge ADAIR Moutinho de Paula
José Baptista XAVIER de Souza
JOSÉ LUIZ Schmitt
LAURILO Grams
Lauro Antonio Lacerda D’AVILA
LUIZ Kuhn
Marcos Frederico FENSTERSEIFER
MAURO Ernani Lampert
MÁXIMO Enio da Silva
Paulo José da Silva COSTA
RALF Porath 
Renato
Gustavo MORBACH
Roberto KRAEMER
ROGER Fam da Luz


Primeiro Colocado

Cel RALF Porath
Hoje é oficial reformado da Brigada Militar


Cel RALF Porath

Época Atual


Participe

Comunique sua presença e aproveite para enviar material! Clique aqui!


Deixe seu comentário!

Uma resposta para “”

  1. A turma foi excelente. Eu e o Sarmento a levamos a Cruz Alta para “cursarem” Guerra na Selva, realizada na invernada do então 17º RI. Foram dias de muita instrução e puxadíssimos, com os instrutores “tirando o couro” dos alunos. Lembro-me que, durante os exercícios, no que se refere ao salto de viatura em movimento, o aluno LORENZ ( creio que era de Campo Bom) quebrou a perna e precisou ficar vários dias hospitalizado, retornando mais tarde a São Leopoldo. Regressamos assim com esta defecção. O aluno Dávila, durante uma alvorada em plena e alta madrugada, quando foram acordados com bombas, socos nas estruturas do galpão que os alojava, gritos, etc, voltou com o nariz intumescido, fruto de um soco inadvertidamente lhe infligido (“acidente em serviço?”). Um dos instrutores de Cruz Alta era um tenente R2 oriundo do nosso NPOR, o tenente Borba. Como observei seu excelente desempenho, conceito e dedicação ao curso, consegui sua transferência para o “19”, o que não era fácil de ser obtido. Aqui, junto com o capitão Hilgenberg, tenente Ben-Hur, sargentos Alberto Argemi e Valfredo ( perdão se não recordo de outros), mais alguns cabos e soldados, o tenente Borba integrou um embrionário curso semelhante e com excelentes resultados. Ainda em Cruz Alta, o aluno que comprovou melhor desempenho e preparo físico foi o aluno Mauro Lampert. Entretanto, em todo o curso o destaque maior foi o aluno Ralf Porath, hoje realmente coronel reformado da Brigada Militar. Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *